• Luiz Fernando Arêas

A CURA DA ANSIEDADE - parte 4

Bom dia.


Leia Mateus 6.22-23


Acesse as partes anteriores aqui: (parte 1, parte 2, parte 3).


Vimos no post anterior que a primeira porta que podemos abrir para a ansiedade é acumular seu tesouro no lugar errado. Neste, veremos a segunda porta: pensar na vida da forma errada.


2. Pensando na vida da forma errada.

"Seus olhos são como uma lâmpada que ilumina todo o corpo. Quando os olhos são bons, todo o corpo se enche de luz. Mas, quando os olhos são maus, o corpo se enche de escuridão. E, se a luz que há em vocês é, na verdade, escuridão, como é profunda essa escuridão!" (Mateus 6.22,23)

Jesus está falando que “o olho do espírito é o coração”. Como no caso do tópico anterior, acumular o tesouro no lugar errado, novamente a questão é o foco. O Senhor está dizendo que o espírito terrível da ansiedade que agarra tantas vidas é causado por falharmos em nosso foco espiritual, pensando na vida de uma perspectiva errada.


"Quando os olhos são bons, todo o corpo se enche de luz." John Stott comenta:

Como nossos olhos afetam todo o nosso corpo, a nossa ambição (onde fixamos nossos olhos e nosso coração) afeta toda a nossa vida. Exatamente como o olho que vê dá luz ao corpo, uma ambição nobre e sincera de servir a Deus e aos homens aumenta o significado da vida e lança luz sobre tudo que fazemos. 

Da mesma forma que a cegueira leva às trevas, uma ambição ignóbil e egoísta (por exemplo, ajuntar tesouros para nós mesmos sobre a terra) faz-nos mergulhar nas trevas morais. Ficamos intolerantes, desumanos, grosseiros, despojando a vida de seu principal significado.

É impressionante como as pessoas podem olhar a mesma cena, mas interpretá-la de maneira diferente. Imagine um ajuntamento num grande e belo templo. Ele está com tudo em ordem, com exceção de uma mancha discreta numa das paredes. Muitos dariam mais atenção à mancha, supervalorizando-a do que qualquer outro aspecto do templo, inclusive esquecendo-se do propósito primeiro de estarem ali.

Há quem passe por um bosque e só veja lenha para a fogueira.

Leon Tolstoi, 1828-1910


No meio das multidões Jesus enxergava pessoas. Quantas e quantas vezes ele parava para atender alguém em meio a milhares de pessoas. Muitas vezes a pressa, o perfeccionismo ou o materialismo podem turvar nossa visão. Nosso olhar tem-se tornado muito superficial (veja o post "A luta contra a maldição do nosso tempo"). Temos sido movidos pela produtividade, não pela profundidade.


O Dr. James Houston é um teólogo, pastor, palestrante e escritor, sempre muito requisitado por onde vai. Filas se formam para falar com ele. No seu livro "Meu Legado Espiritual", editora Mundo Cristão, ele conta como faz para evitar a tentação de encarar essa situação como uma "linha de produção":

Um de meus hábitos tem sido cultivar uma atitude de oração quando estou na presença de outra pessoa, sussurrando em meu interior: “Senhor,-me reverência na presença deste teu filho singular por quem tu morreste”.

Tenha alguns momentos de quietude e responda sinceramente a essas perguntas:

  • Como você analisa o olhar que tem tido para com a vida?

  • Sua visão espiritual está focada em quê?

  • Sua visão está clara ou ela tem sido turvada pela ambição?


>>> continua no próximo post.


Bibliografia usada na série "A Cura para a Ansiedade"

  • FERGUSON, Sinclair. Kingdom Life in a Fallen World: Living Out the Sermon on the Mount - (Vida do Reino em um Mundo Caído: Vivendo o Sermão da Montanha)

  • STOTT, John. A Mensagem Do Sermão Do Monte - contracultura cristã, Ed. ABU

26 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo