top of page
  • Foto do escritorLuiz Fernando Arêas

A CURA DA ANSIEDADE - parte 1

Bom dia.



Esse é o início de uma série de reflexões sobre Mateus 6.19-34, cujo tema é a ANSIEDADE.


Quem já não a experimentou? Interessante a definição do Aurélio de ansiedade: “Sensação de receio e de apreensão, sem causa evidente, e a que se agregam fenômenos somáticos como taquicardia, sudorese etc.".

Do dicionário Houaiss: "Grande mal-estar físico e psíquico; aflição, agonia; desejo veemente e impaciente; falta de tranquilidade; receio; estado afetivo penoso, caracterizado pela expectativa de algum perigo que se revela indeterminado e impreciso, e diante do qual o indivíduo se julga indefeso."


Que coisa horrível!


Quando recém-casado, perdi o emprego. Foi um tempo difícil, de sacrifícios. Senti o peso esmagador da ansiedade sobre mim. Tinha uma esposa para sustentar. Eu não a havia tirado da casa de seus pais para que ela passasse privações. Queria dar-lhe o melhor.


Então, a indesejável companheira se aproximou e, lamentavelmente, a acolhi. Ao acordar, a ansiedade já estava lá, na minha mente. Sem cerimônia, ela me acompanhava o dia todo, ao me sentar para um café, pendurada ao meu lado no ônibus, na hora de dormir. A sensação era de uma mão levemente postada em volta do meu pescoço, deixando-me alerta o tempo todo, com medo de que essa mão me apertasse.

"Ansiedade é como uma cadeira de balanço, mantém você ocupado, mas não o leva a lugar nenhum."

Na ocasião, eu começava a servir numa igreja local e o pastor me pediu para ajudá-lo na escola dominical. O tema do estudo era o Sermão do Monte, os capítulos 5, 6 e 7 de Mateus. Você consegue adivinhar qual parte desse texto coube a mim ensinar? Justamente a parte em que Jesus fala sobre a ansiedade...


"Sério, Senhor?", pensei com meus botões num clamor interno a Deus: "Seria uma ironia divina? Milhares de textos na Bíblia para ensinar, e justamente esse, nessa ocasião específica da minha vida? Senhor, não quero ser um hipócrita, ensinando aos outros algo que não experimento ou não acredito, porque a ansiedade que sinto é real. Suplico que a tires de mim. Suplico que me faças entender esse texto e viver as verdades que teu Filho ensina por meio dele".


Estudei o assunto e montei uma apostila, usando como base dois excelentes livros, que enriquecerão nossa jornada: "A mensagem do Sermão do Monte", de John Stott e, outro, dado pelo pastor que me convidou a dar as aulas, "Kingdom Life in a Fallen World: Living Out the Sermon on the Mount" (A vida do Reino em um mundo caído: vivendo o Sermão do Monte), de Sinclair Ferguson.


Aos poucos, e com muito amor e cuidado, a graça de Deus foi trabalhando em mim, até que "a ficha caiu". Entendi o que me deixava ansioso e como poderia ficar livre disso. Veremos isso nos próximos oito posts.


O apóstolo Paulo também abordou a questão da ansiedade quando escreveu aos filipenses. Esse é um dos meus textos prediletos da Bíblia. Decorá-lo fará um bem enorme à sua alma:

Não andem ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração e súplicas, e com ação de graças, apresentem seus pedidos a Deus. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o coração e a mente de vocês em Cristo Jesus.

(Filipenses 4.6,7)


Esse texto de ouro começa com a ansiedade e termina com a promessa da paz de Deus, que não pode ser comprada, forjada ou fingida. No meio do caminho, há um coração sincero e quebrantado, derramado na presença de Deus, com oração, súplicas e gratidão.


É bom deixar claro que não estou imune à ansiedade. Mas, pela graça de Deus, tento trazer à memória esses textos e praticá-los quando essa indesejável companheira se insinua.


Que essa série seja instrumento transformador nas mãos do carinhoso Pai para abençoar sua vida, fortalecer sua espiritualidade e afastar a ansiedade de você.


"Se eu pudesse ouvir Cristo intercedendo por mim no quarto ao lado, não temeria um milhão de inimigos. No entanto, a distância não faz diferença: ele está intercedendo por mim."

Robert Murray M'Cheyne, 1813-1843



A cada seis meses, calibro minha espiritualidade com essa série sobre a Cura da Ansiedade.


Por que experimentarei a paz de Deus?


- Porque Ele prometeu em Sua Palavra.

- Porque Ele é a minha paz.

- Porque decidi confiar nEle.

- Porque Ele é meu Deus e meu Pai.

- Porque Ele me ama e sabe o que é melhor para mim.

- Porque esse é um abençoado ciclo de dependência:

- Digo não à ansiedade.

- Oro a Deus.

- Peço a Ele tudo o que eu preciso.

- Agradeço a Ele por tudo que Ele já fez.

- Ao invés de ansiedade, tenho a paz de Deus.

- Meu coração e a minha mente serão guardados por essa paz maravilhosa.


Isso não significa que Ele vai me dar tudo o que eu peço. Significa que entreguei minha causa a Ele. Ele me ama, sabe o que estou passando e sabe o que é melhor para mim.


Por que tenho tanta dificuldade em entender isso?

Por que tenho tanta dificuldade em me apropriar disso?


Vamos trilhar essa jornada juntos?





50 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comentários


bottom of page