• Luiz Fernando Arêas

UM CLARO RELATO DA PERFEIÇÃO CRISTÃ, parte 3 de 4

Bom dia.


Leia Tiago 2.14-25


Continuação de Extratos de “Um claro relato da perfeição cristã”, do livro Clássicos Devocionais, de Richard Foster, editora Vida (parte 1, parte 2).



3. O perigo do antinomismo ou ser contra a lei


Aconselho-o também a tomar cuidado com o antinomismo, que consiste na crença de que não há necessidade de lei na vida do cristão. Mesmo a grande verdade de que “Cristo cumpriu a lei” pode induzir-nos a essa atitude, se ignorarmos que ele adotou para si cada um dos pontos da lei moral. Cuidado para não pensar: “Uma vez que tenho o amor de Deus, não preciso de santidade”; ou “Já que estou em constante oração, não preciso separar um tempo de oração em particular”; ou: “Já que sou espiritual, não preciso examinar a mim mesmo”.


Antes, seja esse nosso pensamento: “Amo os teus mandamentos mais do que o ouro ou a pedra preciosa. Sim, quanto amor encontrei em tuas leis! Meditarei nelas o dia todo”. Precisamos tomar cuidado com o comodismo, com o desprezo à abnegação, ao jejum e à abstinência. Não podemos clamar: “Apenas creia, creia!”, nem rotular como legalistas os que tentam praticar o que as Escrituras ensinam. Precisamos lembrar que “a fé foi aperfeiçoada pelas obras” (Tiago 2.22).


4. O perigo dos pecados de omissão


Pecar por omissão significa deixar de fazer o bem quando temos oportunidade. Precisamos estar atentos a esses pecados e zelar por toda boa obra. Faça tudo o que estiver ao seu alcance pelo bem físico e espiritual do próximo. Seja ativo. Não ceda lugar à indolência. Esteja sempre ocupado, sem desperdiçar nenhum fragmento de tempo. Tudo o que estiver ao seu alcance, faça com todas as suas forças.


Além do mais, seja tardio em falar. Diz-se que “quando são muitas as palavras, o pecado está presente”. Procure não falar muito ou por muito tempo. São poucos os que conseguem conversar de maneira proveitosa por mais de uma hora. Evite, principalmente, o “bate-papo” piedoso ou fofoca religiosa.


Ponderação de Richard Foster

Wesley discute no item 4 o perigo dos pecados de omissão (não fazer o que deveríamos fazer). Quais são os seus pecados de omissão mais impertinentes?


John Wesley aconselha: “Seja ativo”. Essa semana, procure fazer “todo o bem que estiver ao seu alcance”. Transfira a atenção de seus pecados de comissão para os pecados de omissão.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo