• Luiz Fernando Arêas

ABRAÃO 14 - AGORA SEI QUE TEMES A DEUS parte 2 de 3

Bom dia.


Leia Gênesis 22.1-19


Continuamos nossa reflexão neste que é um dos mais impressionantes capítulos da Bíblia.


Vimos no post anterior que essa passagem nos impressiona:

  1. pela ordem de Deus, e pela ênfase com a qual é dada, para Abraão sacrificar seu filho;

  2. pela prontidão do patriarca em obedecer à ordem divina;

  3. a fé resoluta de Abraão, de que ele e o filho retornariam vivos desse sacrifício.


O quarto aspecto impressionante do texto é o fato de o Anjo do Senhor esperar até o último instante para intervir.


9 Quando chegaram ao lugar que Deus lhe havia indicado, Abraão construiu um altar e sobre ele arrumou a lenha. Amarrou seu filho Isaque e o colocou sobre o altar, em cima da lenha. 10 Então estendeu a mão e pegou a faca para sacrificar seu filho. 11 Mas o Anjo do Senhor o chamou do céu: “Abraão! Abraão!” “Eis-me aqui”, respondeu ele. 12 “Não toque no rapaz”, disse o Anjo. “Não lhe faça nada. Agora sei que você teme a Deus, porque não me negou seu filho, o seu único filho.” (Gênesis 22.9-12)

O pintor holandês Rembrandt Harmenszoon van Rijn (1606-1669) procurou captar o exato momento da intervenção divina (gravura acima). O Anjo do Senhor teve três dias para aparecer. Poderia tê-lo feito durante a viagem ou quando o altar estava sendo montado, ou ainda quando Isaque se deitou sobre ele. Mas Ele aguarda até o último segundo para intervir (Gênesis 22.10). A cena bíblica lembra um filme de suspense de Hitchcock.


Por que o Anjo do Senhor esperou até o último instante, até Abraão pegar a faca e levantar o braço na direção de seu amado filho? Porque Abraão poderia não encontrar forças para ir até o fim. O patriarca poderia ter desistido. Mas o fato dele não ter desistido revelou seu coração resoluto em obedecer a Deus:


...Agora sei que você teme a Deus...

Eis uma das razões por trás das provações a que somos submetidos pelo Senhor, revelar o que está em nosso coração:


E te lembrarás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te tentar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias os seus mandamentos ou não. (Deuteronômio 8.2)

Abraão ama mais Isaque ou Deus? Ele ama Deus o suficiente para obedecê-lo em todas as coisas? Ele ama Deus acima de todas as coisas? Sim. A caminhada desse homem com Deus, as provações, os conflitos e guerras, as promessas da aliança e o cumprimento delas, enfim, os ensinamentos dessa comunhão, forjaram, ao longo das décadas de aprendizado e amizade com o Todo Poderoso, um coração fiel e temente a Deus. É por isso que ele é chamado de “amigo de Deus” (Isaías 41.8; Tiago 2.23).


Esse convite é estendido a nós também hoje, por meio de Jesus. Na última noite antes de ser preso, Ele disse aos seus discípulos:


Vocês serão meus amigos se fizerem o que eu ordeno. (João 15.14)

Quando lemos a Bíblia, ela também nos lê. Nem sempre é fácil obedecer a Deus. Mas, como diz a canção Amigo de Deus, de Adhemar de Campos, "não existe nada melhor do que ser amigo de Deus".



Não devemos almejar nada menos que isso em nossa jornada com o Senhor.

28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo