• Luiz Fernando Arêas

MUROS

Bom dia.


Leia Gênesis 4.13-17


Um retrato de notícias, tirado há alguns anos.


Em janeiro de 2017 os muros estavam bem presentes nos noticiários.


Donald Trump, iniciando seu mandato presidencial, dava início imediato à construção de um muro de bilhões de dólares para dificultar a entrada de mexicanos nos EUA.


O então prefeito João Dória tentava manter os muros paulistanos livres de pichações.


Os muros das penitenciárias brasileiras mostravam-se ineficazes para conter a fuga de presos e o confronto de facções criminosas.


A história está repleta de muros, como a Muralha da China, a obra humana que pode ser vista da lua; o Muro de Berlim, que separou durante 28 anos a Alemanha Ocidental da Oriental; a “Cortina de Ferro”, muro político da antiga União Soviética, que durou mais de 45 anos; o Muro das Lamentações, resquício sagrado do templo dos judeus, entre outros. Há também o muro dos judeus, desde 2002, sendo construído para isolar os palestinos.


Na Bíblia eles também aparecem aos montes. Talvez os mais famosos sejam as muralhas de Jericó, seguido pelos muros de Jerusalém, reconstruídos por Neemias.


Falando em muro,

Então Caim afastou-se da presença do Senhor e foi viver na terra de Node, a leste do Éden. Caim teve relações com sua mulher, e ela engravidou e deu à luz Enoque. Depois Caim fundou uma cidade, à qual deu o nome do seu filho Enoque. (Gênesis 4.16,17)

Texto interessante. A emblemática expressão “viver a leste do Éden” resume toda situação de Caim. Sem Deus, sem Éden, à mercê de inimigos e num mundo marcado pelo pecado, Caim sente-se inseguro e vulnerável. Se ele foi capaz de matar o próprio irmão, que limite haverá para seus inimigos? Ele constrói uma cidade, que certamente era um tipo de proteção.

Mas o muro da cidade de Caim não foi o primeiro. O primeiro muro não foi físico, mas pior, foi espiritual. Adão o causou ao desobedecer a Deus. O pecado trouxe inimizade e gerou um muro, separando Deus e toda a humanidade. Um muro impossível de ser transposto pelo homem.


Também vivemos a Leste do Éden. Basta olhar as casas e prédios em São Paulo. Basta olhar para medos, neuroses, doenças, culpa, insegurança.


Graças a Deus, a história não termina aí. A passagem bíblica mais importante sobre “muro” está em Efésios:

Porque Cristo é nossa paz. Ele uniu judeus e gentios em um só povo ao derrubar o muro de inimizade que nos separava. (Efésios 2.14 – NVT)

Cristo transpôs o intransponível. Uniu judeus e gentios, cristãos e Deus. Vivemos a Leste do Éden, mas temos a paz, o próprio Cristo, e a segurança que muro algum pode garantir.


Enquanto a Nova Jerusalém, com seus muros de jaspe (Apocalipse 21.18), não é inaugurada, desçamos do muro e abracemos Deus, e, ao invés de muros, construamos pontes entre Deus e o próximo.




30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo