• Luiz Fernando Arêas

NÓS NOS DESVIAMOS

Bom dia. Leia Isaías 53.5-6


5 Mas ele foi transpassado por causa das nossas transgressões, foi esmagado por causa de nossas iniquidades; o castigo que nos trouxe paz estava sobre ele, e pelas suas feridas fomos curados. 6 Todos nós, tal qual ovelhas, nos desviamos, cada um de nós se voltou para o seu próprio caminho; e o Senhor fez cair sobre ele a iniquidade de todos nós. (Isaías 53)

Estamos na semana da Paixão, tempo de contrição, de recordar o quanto custou para Deus sermos salvos dos nossos pecados. Observe nesse texto de Isaías que o sujeito das orações está na primeira pessoa do plural. O profeta se inclui no grupo dos que causaram dano ao Servo Sofredor, através dos seus pecados. Eu e você também integramos o grupo. No hebraico, a palavra "transpassado" significa "ferir", "furar", "furar até a morte". O termo nos arremete à cruz. Isaías escreveu sua profecia em torno de 700 a. C. As evidências histórias mostram que a crucificação teria sido inventada pelos persas somente em torno de 400 a 300 a.C. Talvez os assírios e babilônios tenham feito uso dela antes. Há uma profecia ainda mais antiga, o Salmo 22, o salmo da cruz, escrito por Davi cerca de 1.000 a. C, onde a cena da crucificação é mais evidente ainda:

16 Cães me rodearam! Um bando de homens maus me cercou! Perfuraram minhas mãos e meus pés. 17 Posso contar todos os meus ossos, mas eles me encaram com desprezo. (Salmo 22.16,17)

Nós nos desviamos de Deus. Recusamos seu amor. Dissemos "não" ao seu senhorio. Desprezamos seu cuidado. Demos-lhe as costas (v.3, NVT). Ovelhas rebeldes, independentes, achamos que o nosso caminho era melhor.

Por isso, Jesus afirmou:

“Eu sou o bom pastor. O bom pastor dá a sua vida pelas ovelhas." (João 10.10)

Estávamos perdidos. Precisávamos ser resgatados. Por isso Ele morreu. Não ficamos desgarrados. Ele veio atrás de nós, nos procurar e nos encontrar em nossos caminhos tortos.

14 “Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem, 15 assim como o Pai me conhece e eu conheço o Pai; e dou a minha vida pelas ovelhas. (João 10.14,15)

Somos todos ovelhas. A grande questão é se ouvimos a voz do Bom Pastor e fazemos parte do seu rebanho.

16 Tenho outras ovelhas que não são deste aprisco. É necessário que eu as conduza também. Elas ouvirão a minha voz, e haverá um só rebanho e um só pastor. 17 Por isso é que meu Pai me ama, porque eu dou a minha vida para retomá-la. 18 Ninguém a tira de mim, mas eu a dou por minha espontânea vontade. Tenho autoridade para dá-la e para retomá-la. Esta ordem recebi de meu Pai”. (João 10.14-18)

Ele é o Bom Pastor de João 10 e do Salmo 23. Nada nos faltará, ainda que andemos pelo vale da sombra da morte (Salmos 23.4). Mesmo lá, não nos perderemos, porque Ele já esteve lá, conhece o caminho. E até mesmo lá Ele estará conosco.

Prosperidade é a bênção do Antigo Testamento; adversidade é a bênção do Novo.

Francis Bacon, 1561-1626

Hino MENSAGEM DA CRUZ (RUDE CRUZ)



30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo