top of page
  • Foto do escritorLuiz Fernando Arêas

ARREPENDIMENTO E NOSSAS PISADAS DE BOLA

Bom dia.




Muitas vezes nos arrependemos de algo que dizemos, fazemos ou nos omitimos em fazer. Tenho uma infeliz coleção de arrependimentos. Coisas que eu disse ou fiz; e ocasiões em que me omiti.


Às vezes me esqueço do que a Escritura afirma com clareza:

“Dos seus pecados e iniquidades não me lembrarei mais”.

(Hebreus 10.17)


"Tornará a ter compaixão de nós; pisará aos pés as nossas iniquidades e lançará todos os nossos pecados nas profundezas do mar.

(Miqueias, 7.18)


As duas passagens estão dentro do contexto da salvação que Cristo traria para todos os que cressem nele.


O pecado é algo tão sério que Deus teve que morrer para que fôssemos perdoados:

Cuidem de vocês mesmos e de todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo os designou como bispos, para pastorearem a igreja de Deus, que ele comprou com o seu próprio sangue.

(Atos 20.28)


Ou seja, Paulo aqui está afirmando claramente, com todas as letras, que Jesus é Deus, pois foi Ele quem morreu, derramando seu sangue na cruz.


Por isso, não podemos negligenciar nossos pecados, pois eles requereram um "alto preço" (1Coríntios 6.18), o sangue de Cristo.


Na magnífica passagem de hoje, Efésios 4.17-5.2, Paulo descreve como devem viver os que foram perdoados por Deus, os "filhos da luz" (Efésios 5.8), que se renderam à salvação e ao senhorio de Cristo.


O texto é rico. Viver com Deus e para Deus é um exercício diário, que deve ser vivido deixando a "antiga natureza e de velho modo de viver" (v. 22) e vivendo a nova vida com Cristo:

"...livrem-se de sua antiga natureza e de seu velho modo de viver, corrompido pelos desejos impuros e pelo engano. Deixem que o Espírito renove seus pensamentos e atitudes e revistam-se de sua nova natureza, criada para ser verdadeiramente justa e santa como Deus."

(Efésios 4.22,24)


Esse exercício diário de "despir-se" do velho homem e "revestir-se" do novo homem é também chamado de "santificação".


O cristão peca? Sim. Infelizmente. Mas quando pecar, deve se arrepender de seu pecado e confessá-lo a Deus para ser perdoado e purificado, como ensina o apóstolo João em sua primeira carta:

"Mas, se confessamos nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça."

(1João 1.9)


Contudo, se o pecado nos domina, há algo muito errado, conforme João afirma:

Quem vive no pecado transgride a lei, pois todo pecado é contrário à lei. E vocês sabem que ele veio para tirar nossos pecados, e nele não há pecado. Quem permanece nele não continua a pecar. Mas quem continua a pecar não o conhece e não entende quem ele é.
Filhinhos, não deixem que ninguém os engane a este respeito: quando uma pessoa faz o que é justo, mostra que é justa, como ele é justo. Mas, quando continua a pecar, mostra que pertence ao diabo, pois o diabo peca desde o início. Por isso o Filho de Deus veio, para destruir as obras do diabo. Aquele que é nascido de Deus não vive no pecado, pois a vida de Deus está nele. Logo, não pode continuar a pecar, pois é nascido de Deus. Assim, podemos identificar quem é filho de Deus e quem é filho do diabo. Quem não pratica a justiça e não ama seus irmãos não pertence a Deus.

(1João 3.4-10)


Palavras contundentes, que mostram que o pecado precisa ser tratado de forma contundente. O pecado não pode dominar o cristão.


Arrependimento. Confissão. Revestir-se do novo homem diariamente. Santificação. Praticar a justiça e amar o próximo. Vivamos assim.


Toda vida é arrependimento.

Timothy Keller


* Recomendo a leitura do excelente texto de apenas 3 páginas de Timothy Keller chamado "Toda vida é arrependimento", aqui, no site monergismo.com, traduzido por Felipe Sabino.

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page