• Luiz Fernando Arêas

ACONCHEGO NO COLO DO PAI

Bom dia.


Leia: Salmo 131


Este pequeno salmo de Davi, apenas três versos, é uma singela oração, uma declaração de total dependência de Deus. Um verdadeiro convite à solitude.

Neste post cito dois livros de leitura proveitosa. O primeiro deles é do querido Ricardo Barbosa, "O Caminho do Coração", Ed. Ultimato. Ele define assim a solitude em seu livro:

"Solitude é o silêncio intencional, provocado por nós mesmos, no qual nos afastamos de pessoas e atividades para um encontro com Deus e conosco mesmos".

No contexto urbano da metrópole fria e da selva de pedra, ouvimos todos os dias intermináveis vozes, sons e ruídos. Somos constantemente bombardeados por decibéis vindos do trânsito, das ruas, pessoas, aviões, helicópteros, rádio, televisão, trabalho, sirenes, buzinas, britadeiras, motocicletas, caminhões de lixo etc.


Não nos bastassem os ruídos externos, temos também os internos. O ser humano processa milhares de informações por dia, que desembocam em milhares de pensamentos. Acabamos nos acostumando ao barulho e desacostumando com o silêncio, a solitude.


O silêncio acaba nos constrangendo. São poucas as pessoas que conseguem ficar em casa sozinhas sem que se ligue algum eletrodoméstico. Outro livro que vale a pena ser lido é "Celebração da Disciplina", de Richard Foster, Ed. Vida, onde o autor afirma:

"O medo de ficarem sozinhas petrifica as pessoas",

Davi experimentou a solitude. O salmo 23 é evidência disso. Como pastor de ovelhas, ele desfrutava da presença do Senhor contemplando belos cenários em momentos de quietude.


O colo do Pai é a mensagem do belíssimo hino CONFIANÇA EM DEUS (Be Still My Soul).

Paulo Frank, no blog História dos hinos, conta que este era o hino favorito de Eric Liddell, atleta escocês que se tornou famoso nas Olimpíadas de 1924 por recusar-se a correr em um sábado, história narrada no filme "Carruagens de Fogo" (Chariots of Fire).


Liddell mais tarde tornou-se missionário na China e foi aprisionado na Segunda Guerra Mundial. Ele conta em seu testemunho que ensinou este hino a outros presidiários no campo, onde morreu de um tumor no cérebro inoperável.


Descansa, ó alma, eis o Senhor ao lado Paciente leva, e sem queixar-te, a cruz.

Deixa o Senhor tomar de ti cuidado:

Ele não muda, o teu fiel Jesus!

Prossegue, ó alma: o Amigo celestial

Protegerá teus passos do espinhal!



Quem nunca ficou embevecido ao contemplar uma criança dormindo, após mamar, satisfeita no colo da mãe? É assim que Davi traduz os sentimentos de segurança, satisfação e aconchego no colo do Pai. Isso é paz.


Através da disciplina da solitude, ele conseguiu olhar para dentro e fazer uma análise sincera de si mesmo. O problema estava nele, não no mundo.

Pelo contrário, acalmei e aquietei a alma, como criança desmamada que não chora mais pelo leite da mãe. Sim, minha alma dentro de mim é como uma criança desmamada. (Salmo 131.2)

Coloquemos nossa esperança no Senhor, desde agora e para sempre.


27 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo