top of page
  • Foto do escritorLuiz Fernando Arêas

O VERDADEIRO SENTIDO DA TEOLOGIA - 1

Bom dia.



É triste, mas verdade: é possível estudar teologia e não ser cristão; há teólogos que são ateus; há pastores não convertidos.


As afirmações acima, embora duras, lamentavelmente, são verdadeiras. Elas podem ser verificadas sem dificuldade tanto no século XXI como nas Escrituras.


Caim e Baalão ouviram a voz de Deus e nem por isso andaram com Ele. Os israelitas ficaram quarenta anos no deserto experimentando diariamente o cuidado divino numa nuvem de dia, numa coluna de fogo à noite, e no maná caindo do céu. Apesar dessas manifestações visíveis da presença e do cuidado de Deus, muitos, como Corá, endureceram seu coração.


Talvez o exemplo mais impressionante seja Judas Iscariotes, que viveu face a face com Cristo durante três anos. O próprio Jesus o chamou de "filho da perdição" (João 17.12).


A igreja de Éfeso no Apocalipse tinha começado bem, mas em algum lugar da jornada afastou-se de Deus e se esqueceu do primeiro amor. "Arrependa-se e volte a praticar as obras que no início praticava".


Dirijo-me aos cristãos. Não estamos brincando de Igreja ou nos divertindo num ajuntamento dominical. Nós não “estamos” igreja, nós somos a Igreja, com as bênçãos e responsabilidades que esse privilégio implica.


A comunidade de Éfeso não estava perdida. Ainda havia esperança para ela, o caminho de volta ao Amor e a mão de Jesus estendida para conduzi-la por ele.


A transformação que Deus faz é profunda e radical.

Ela é profunda e radical porque os problemas são profundos e radicais. O problema do coração humano é tão grave que mudanças superficiais não podem curá-lo. É possível cursar um seminário e não ser transformado por Deus. É possível frequentar uma igreja por anos e não ser transformado por Ele. Israel vivia na terra de Deus, no templo de Deus, na presença de Deus, mas seu coração era duro. Povo de dura cerviz, que não curvava o pescoço, não se submetia a Deus.


C. S. Lewis, no seu livro "Cristianismo Puro e Simples", editora ABU, leitura proveitosa, fala sobre essa transformação radical que Deus quer fazer em nós:


Dê-me tudo, Deus diz. Não quero tanto de seu tempo, de seu dinheiro e de seu trabalho: quero você. Não desejo atormentar seu ser natural, e sim matá-lo. Nenhuma meia medida é boa. Não quero cortar um galho aqui e outro ali. Desejo derrubar a árvore toda. Entregue todo seu ego natural, todos os desejos, tanto os que você acha inofensivos quanto os maus — o conjunto todo. Em troca, darei a você um novo ser. Na verdade, entregarei meu próprio ser a você: minha vontade se tornará a sua vontade”.

A transformação feita por Deus tem tudo a ver com o propósito de ser da Igreja. C. S. Lewis prossegue:


"A Igreja existe exclusivamente para conduzir os seres humanos a Cristo, torná-los pequenos cristos. Se ela não promove tal mudança, as catedrais, os pastores, as missões, os sermões e até mesmo a Bíblia são pura perda de tempo. Deus tornou-se humano justamente para isso. O contraste entre a maneira de Deus fazer as coisas e a nossa nunca é tão nítido quanto na área da transformação humana. Nós pensamos em coisas específicas; Deus pensa em nós. Nós agimos de fora para dentro; Deus age de dentro para fora. Nós tentamos; Deus transforma.

O cristão está nesse processo de transformação. Ele deve estar consciente dele e colaborar com o Senhor. É um processo que durará a vida toda, ser transformado por Deus para ficar cada vez mais parecido com Jesus Cristo.


Arrependimento é uma transformação completa do coração natural do homem com respeito ao pecado.

J. C. Ryle , 1816-1900



9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page