• Luiz Fernando Arêas

MANTENDO O FOCO

Bom dia.


Leia Lucas 12.35-48


* Tradução: Siga [apenas] um curso até que tenha sucesso.


2020 foi um ano muito difícil. 2021 não está sendo diferente. Os dias têm sido intensos, pandemia, confinamento, insegurança, incertezas. Passamos boa parte desse tempo em casa, mas nossas agendas ficaram ainda mais cheias. Trabalhamos muito mais para não deixar a vida descarrilar, manter as contas em dia, os negócios vivos, os relacionamentos. Que haja vacina para todos, e logo.


Quantas vezes perdemos o foco das coisas importantes da vida? Nas palavras de Charles Hummel em seu livro "Livres da tirania da urgência", ed. Ultimato, quantas vezes deixamos que as coisas urgentes atropelassem as coisas importantes? Com que frequência perdemos o foco da jornada? O texto que lemos nessa manhã fala exatamente disso.


Há algum tempo fui ao neurologista, porque achava que minha memória estava piorando.

Cheguei a fazer exames, que não mostraram nenhum problema neurológico. "É problema de foco", sentenciou o médico. "Você faz muitas coisas ao mesmo tempo e não presta atenção na maioria delas".


É verdade. Temos todos sofrido desse mal. Não damos conta de processar a grande quantidade de informação com a qual somos bombardeados. Somos soterrados por montanhas de afazeres. Com facilidade a vida vai "nos levando" na correnteza das demandas.


Mark Twain, 1835-1910, famoso escritor americano do século XIX, impressionado com a superficialidade da sua geração, comparou-a ao com o rio Mississipi: quilômetros de largura e centímetros de profundidade. Se eu me lembrar, falarei isso pro meu médico na próxima consulta...


O perigo de perdermos o foco não é novo. Jesus falou muitas vezes sobre o assunto. Desde o início do capítulo 12 do Evangelho de Lucas, Jesus está rodeado por uma multidão, milhares de pessoas atropelando-se e pisando umas nas outras. No meio desse empurra-empurra, ele se dirige, primeiramente, aos seus discípulos.


E a grande mensagem do Bom Pastor proferida neste capítulo é: “não perca o foco!” Mantenha o foco para que você não perca a visão correta da vida. Então ele faz uma série de advertências a eles, que culminam no verso 35:


“Estejam vestidos, prontos para servir, e mantenham suas lâmpadas acesas,..." (Lucas 12.35)

O capítulo é longo e vale a pena lê-lo com calma. Listo aqui as advertências:

  1. cuidado para não temer mais aos homens do que a Deus. (vs 1 a 12);

  2. cuidado com a avareza (vs 13-21);

  3. cuidado com a ansiedade, veja bem onde você coloca seu coração, cuidado para não perder a visão do Reino (vs 22-34).


Todos esses fatores podem nos desviar do foco do que é mais importante, nossa espiritualidade sadia com Deus - olhos fitos nos céus e pés firmados na terra -, enquanto lidamos com as demandas e urgências.


Paul Tournier, 1898-1986 afirmou: “O produto final de nossa vida não depende tanto do número de coisas que fazemos, mas sim do quanto de nós mesmos é empregado em cada tarefa realizada.”


* Manter as lâmpadas acesas significa, literalmente, ter o suprimento de óleo necessário e permanecer acordado para abastecê-las. Manter os lombos cingidos (no grego, “mantenha o cinto na cintura”), significa estar preparado para a ação. É a mesma expressão usada na Páscoa do Êxodo, “comam a Páscoa de lombos vestidos”.

* Keener, Craig. Comentário Bíblico Histórico-Cultural do Novo Testamento, ed. Vida Nova.

Seus discípulos deveriam estar vestidos, prontos para a ação. E para ilustrar essas duas ordens, ele conta a parábola do servo vigilante (vs 35-48), que será tremendamente abençoado se for fiel e vigiar:

Felizes os servos cujo senhor os encontrar vigiando, quando voltar. Eu lhes afirmo que ele se vestirá para servir, fará que se reclinem à mesa, e virá servi-los. (Lucas 12.37)

O aspecto central dessa exortação de Jesus é "não perca de vista a minha volta". "Não deixe que os afazeres diários da vida tirem seu foco de que, um dia, o Filho do homem virá numa hora em que não o esperam”.


A questão prática é como mantemos nossas lâmpadas acesas? Como não as deixar se apagarem?


Reposta: vigiando, "estando vestidos", preparados para servi-lo sempre, tomando cuidado para com as advertências feitas por Jesus e não perder o foco.


Que nossas prioridades não sejam sabotadas pela tirania das urgências. Alguém já disse que Deus não perguntará quantas coisas fizemos, mas o quanto de nós estava em cada uma delas.


Foco!



* Esse texto é resumo de um sermão pregado na Igreja Cristã Chinesa do Brasil em outubro de 2020.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo