• Luiz Fernando Arêas

JACÓ 02 - POR UM PRATO DE LENTILHAS

Bom dia.


Leia: Gênesis 25.27-34


Voltemos à casa de Isaque, Rebeca, Esaú e Jacó, palco de desventuras familiares. Qualquer semelhança com algumas famílias (as nossas?) não é mera coincidência,..

Alguém já disse que o ser humano é o que é por causa da soma de uma série de fatores que moldam sua personalidade, sua maneira de ser: a criação que teve de seus pais; as cargas genéticas de sua família; as suas próprias características com as quais nasceu; o ambiente no qual cresceu e vive. Todos esses e outros fatores compõe uma equação, que tem como resultado a pessoa como ela é.


"Os meninos cresceram", diz o texto bíblico, nos preparando para as surpresas que viriam. Apesar de serem filhos do mesmo pai e da mesma mãe, gêmeos criados no mesmo ambiente, Esaú e Jacó se tornaram homens muito diferentes.


Esaú era tudo que poderia se esperar de um filho na antiguidade. Era o favorito do pai, caçador habilidoso. Era peludo, característica admirada pelos antigos povos semitas da região. Era forte, o mais velho, de quem se poderia esperar alguma coisa.


Jacó - seu nome significa ele agarra o calcanhar ou ele age traiçoeiramente. Era o favorito da mãe, ajudava-a com os animais, com o gado próximo à casa. Tinha um pai distante e vivia à sombra do irmão, sempre tentando superá-lo. Pode ser considerado modelo de astúcia e autoconfiança.


Então chega o dia em que Jacó está preparando um belo ensopado vermelho e o irmão caçador chega do deserto exausto e faminto. Esaú pede um pouco do ensopado ao irmão que, por sua vez, aproveita a ocasião para fazer com que o mais velho venda seu direito de progenitura.


Naquele tempo, a porção da herança do primogênito era o dobro dos demais irmãos. Se fossem quatro filhos, a herança era dividida em cinco partes, sendo duas para o mais velho.

Mas o que está em jogo aqui não é apenas dinheiro, mas a bênção espiritual dada pelo pai.


A Bíblia interpreta a própria Bíblia. A atitude de Esaú foi tão absurda que o autor da carta aos Hebreus o chama de imoral e profano:

15 Cuidem que ninguém se exclua da graça de Deus; que nenhuma raiz de amargura brote e cause perturbação, contaminando muitos; 16 que não haja nenhum imoral ou profano, como Esaú, que por uma única refeição vendeu os seus direitos de herança como filho mais velho. 17 Como vocês sabem, posteriormente, quando quis herdar a bênção, foi rejeitado; e não teve como alterar a sua decisão, embora buscasse a bênção com lágrimas. (Hebreus 12.15-17)

O conceituado teólogo F. F. Bruce (1910-1990) nos esclarece sobre o assunto:


Os direitos de herança do filho mais velho eram negociáveis naquela época; mas vendê-los por tão pouco foi um sinal evidente de desprezo por eles. O caráter de Jacó não era de todo admirável, mas pelo menos ele pensava com seriedade no futuro; foi tolice completa por parte de Esaú viver somente para o momento.


A conduta de Esaú traz lições importantes para nós. Aqui vão algumas delas:

  • Cuidado com os momentos de fragilidade física e emocional. Quantas vidas, quantos casamentos têm sido destruídos por decisões tomadas em momentos de vulnerabilidade física e emocional?

  • Não renuncie a bênçãos espirituais por um momento de contentamento. Esaú vivia para o momento, um caçador de emoções. Sua filosofia era "se chorei ou se sofri, o importante é que emoções eu vivi...". Num momento negociou aquilo que era inegociável.

  • Qual o lugar que a espiritualidade tem ocupado em nossas vidas? É claro o descaso de Esaú com as questões espirituais. Será que temos sido negligentes com as coisas de Deus?


Livra-nos, Senhor de descuidarmos de nossa vida contigo.

Livra-nos de negociarmos o que não pode ser negociado.

Livra-nos de vivermos de maneira inconsequente, olhando apenas para o prazer momentâneo.

Não nos deixes tirar os olhos de ti. Em nome de Jesus, amém.

25 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo