• Luiz Fernando Arêas

ESMIRNA, A IGREJA RICA

Bom dia.


Leia: Apocalipse 2.8-11


Muitos procuram a igreja perfeita. Outros procuram fazer da sua, a igreja perfeita.

Mas, o que se pode chamar hoje de uma igreja bem-sucedida? O número de membros que ela tem? Ou sua arrecadação? Talvez o número de arrepios que a música cause na espinha?


Olhando para as sete igrejas do Apocalipse, eu poderia lhe apresentar uma igreja com uma agenda cheia de programações e boas obras. Ficaria interessado? Ou talvez seja mais atraente uma igreja liberal e permissiva, onde se ensine que você pode assistir o Big Brother sem dor na consciência, pular carnaval, depois ir para a balada e terminar o fim de semana no culto? À sua disposição também estão igrejas “famosas”. Uma tem fama de que está viva, outra que pensa que é rica e próspera. Bom, espero que você não se encante por nenhuma destas...


Sardes e Laodiceia recebem de Jesus mensagens semelhantes: “Caia na real!” Para Sardes: “você tem fama de estar vivo, mas está morto! Para Laodiceia: “você diz que é rico, mas é miserável, digno de compaixão, pobre, cego, e que está nu!”


Segundo Jesus, o Dono da Igreja, todas estas igrejas locais necessitam de arrependimento. Certamente, para um cristão (e, especialmente, para um pastor), esses textos nos enchem de temor e nos fazem refletir sobre nossas vidas, ministérios e comunidades.


As igrejas bem-sucedidas do Apocalipse são Esmirna e Filadélfia, as únicas que não recebem repreensões. Esmirna pensa que é pobre, mas é rica. Filadélfia tem pouca força, mas é amada e guardada por Jesus.


Para refletir

O que é ser bem-sucedido, segundo Deus?


"A verdadeira medida de nossa riqueza está em quanto valeríamos se perdêssemos todo nosso dinheiro."

John Henry Jowett (1863-1923)




20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo