• Luiz Fernando Arêas

DEUS TRABALHA NO RAMO DAS TRANSFORMAÇÕES

Bom dia.


Leia: Ezequiel 36.18-32


Submeter-se ao senhorio de Cristo é o início de um processo de transformação.

Mas a salvação é só o começo. O projeto de Deus para nós é nos deixar cada vez mais parecidos com Seu Filho, e isso só será concluído na nova Jerusalém, onde os seus estarão com Ele para sempre.

"Pois Deus conheceu de antemão os seus e os predestinou para se tornarem semelhantes à imagem de seu Filho, a fim de que ele fosse o primeiro entre muitos irmãos." (Romanos 8.29)

O texto de Ezequiel, como todos os outros textos bíblicos, precisa ser entendido dentro do seu contexto. Nabucodonosor, rei da Babilônia, sitiou Israel por dois anos. Nesse tempo, ele levou os melhores israelitas para servi-lo em seu país, entre eles os jovens que "haviam entrado no ITA de Jerusalém", como Daniel e seus amigos (Daniel 1.1.4).


Outros foram levados para um acampamento de refugiados às margens do rio Quebar, como o sacerdote Ezequiel (Ezequiel, 1.1-4), que ali recebeu tremendas visões de Deus.


No capítulo 36 de Ezequiel, Jerusalém já foi destruída. Os muros foram derrubados. O templo do Senhor foi saqueado e queimado. O palácio do rei virou cinzas, bem como todas as casas de Jerusalém e todos os edifícios importantes. Tudo isso aconteceu porque o povo de Deus se afastara dele, adorando outros deuses, não dando ouvidos aos profetas.


O que definia Israel como nação e povo de Deus? A terra, que Deus prometera à Abraão; o templo, que leva o nome de Deus, cuja glória encheu o templo em 2Crônicas 7, na sua inauguração, a ponto de que ninguém poder ficar lá dentro; o rei, descendente de Davi, a quem Deus prometera que jamais faltaria descendente dele no trono de Israel; o povo, a quem Deus escolheu e separou de todas as nações para caminhar com Ele, proclamando a sua glória entre as nações.


Mas Ezequiel recebe uma visão estarrecedora. Erga os olhos da sua imaginação e contemple essa cena. Sabe o que Ezequiel vê no capítulo 10.18? A glória do Senhor abandonando o templo! No capítulo 11.23, a glória do Senhor sai da cidade. Deus está indo embora de Jerusalém!


Agora contemple Jerusalém destruída. Israel não tem mais terra, pois a terra é da Babilônia. Não tem mais templo, o templo foi saqueado e demolido. O rei, não tem mais. O palácio e o trono foram queimados, viraram cinzas. O povo escolhido agora foi disperso, dizimado. Esse é o quadro da desesperança total.


Tudo aquilo que definia Israel como povo de Deus foi tirado dele. Quase tudo. Deus saiu do templo. Deus saiu da cidade. Mas Deus não saiu do seu trono. Ele continua sendo Deus. E na sua soberania e no seu grande amor, por meio do profeta, ele anuncia a promessa do verso 28:

“Vocês habitarão em Israel, a terra que dei a seus antepassados. Vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus." (Ezequiel 36.28)

Quem diria que esse cenário de desolação seria reversível? Quem diria que Jerusalém pudesse ser reconstruída, juntamente com o templo do Senhor? E, principalmente, quem diria que o coração do povo de Deus pudesse ser restaurado? Humanamente impossível. Mas divinamente, não.


Deus cria a partir do nada. Deus transforma aquilo que nada é em algo que seja. Deus pega um Jacó, mentiroso, enganador e o transforma num homem temente a ele. Deus pega um Zaqueu, cobrador de impostos corrupto e faz dele um servo de Cristo. Deus toma uma mulher possuída por sete demônios e faz dela a abençoada serva do Senhor que se torna o primeiro ser humano a ver Jesus ressuscitado. Deus trabalha no ramo das transformações.


Através de Ezequiel, o Senhor nos dá uma das promessas mais belas da Escritura:

25 “Então aspergirei sobre vocês água pura, e ficarão limpos. Eu os purificarei de sua impureza e sua adoração a ídolos. 26 Eu lhes darei um novo coração e colocarei em vocês um novo espírito. Removerei seu coração de pedra e lhes darei coração de carne. 27 Porei dentro de vocês meu Espírito, para que sigam meus decretos e tenham o cuidado de obedecer a meus estatutos. (Ezequiel 36.25-27)

COM DEUS, AS TRANSFORMAÇÕES SÃO POSSÍVEIS. Essa é uma das lições do capítulo 37 de Ezequiel, o vale de ossos secos. Deus leva um profeta a um cemitério a céu aberto. Ossos e mais ossos humanos estão lá. E o Senhor pergunta ao profeta: “Filho do homem, acaso esses ossos podem voltar a viver?” Ezequiel nos dá uma lição de discernimento e sabedoria respondendo: “Ó Soberano Senhor, só tu o sabes”.

Isso significa que não temos o direito de dizer: “isso aqui não tem jeito”.Não há esperança”. Ao invés disso, devemos dizer: “humanamente falando", pode não haver esperança, mas Deus sabe. Se Ele quiser, ele pode reverter essa situação. Ele é o Soberano.

Tiago nos ensina com relação aos nossos planos: “Se Deus quiser, faremos isto ou aquilo”. Quem coloca o ponto final é Deus. Com Deus, as transformações são possíveis. Só o Senhor pode dizer que alguém está longe demais que não consiga voltar para ele.


Acaso Israel poderia reviver? Sim. O Soberano Senhor os trouxe de volta à sua terra, fez com que o templo, os muros e a fé fossem reconstruídos, e no seu trono de Jerusalém estava um descendente de Davi, ainda que submisso a outra nação. Humanamente falando, impossível. Divinamente, sim. Em Cristo, os recomeços e a transformações são possíveis.

"Eu vim para que tenham vida, e a tenham plenamente." (João 10.10)
35 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo