• Luiz Fernando Arêas

AO REI CONSAGRO O QUE COMPUS

Bom dia.


Leia: Salmo 45


O ser humano é extremamente inteligente, como se pode constatar pela tecnologia que nos cerca.

Ele é capaz de ir à Lua (com os pés quase em Marte), de decodificar o genoma humano e de produzir em meses uma vacina que normalmente levaria anos de pesquisa.


Tanta capacidade assim faz aumentar sua prepotência e arrogância, fazendo-o pensar que é capaz de tudo, e que não precisa do Criador para nada.


Foi esse o brado de independência dos construtores da torre de Babel (Gênesis 11.1-9). Eles experimentavam um enorme progresso tecnológico. Estavam usando tijolos ao invés de pedras, e piche no lugar da argamassa.

“Vamos construir uma cidade, com uma torre que alcance os céus. Assim nosso nome será famoso e não seremos espalhados pela face da terra”. (Gênesis 11.4)

Em outras palavras: “Deus, não precisamos de você para nada, nem para chegar aos céus. Sozinhos, somos capazes de engrandecer nosso nome. Passar bem...”.


O ministério do profeta Jeremias adverte quanto ao perigo de se confiar no coração:

“O coração é mais enganoso que qualquer outra coisa e sua doença é incurável. Quem é capaz de compreendê-lo?” (Jeremias 17.9)

O salmo 45 é um cântico de louvor ao rei no dia do seu casamento. É linda demais a expressão do verso primeiro:

“Ao Rei consagro o que compus” (Salmo 45.1 - Revista e Atualizada)

O salmista se sente inspiradíssimo diante de ocasião tão festiva. Seu presente de casamento ao rei é o melhor que ele pode oferecer, com sua inteligência, capacidade e talento: sua poesia!


Esse é o tributo que devemos entregar ao Rei dos reis todos os dias. Consagrar a Ele o melhor que nossa capacidade possa gerar. Seja lavando uma louça, fazendo a lição de casa ou trabalhando da melhor forma possível.


É bíblico e sadio expressar a gratidão ao Senhor. Quando paramos para refletir que tudo o que temos e o que somos vem do Criador (Salmo 24.1), inclusive nossa inteligência e capacidade criadora, lutamos contra nossa natureza egoísta. Ao cultivarmos a gratidão em nossos corações, colocamos as coisas nos devidos lugares. Lembramo-nos de quem somos, e quem Deus de fato é, nosso Provedor.

"Hoje estive diante de Deus e entreguei-lhe tudo o que tenho e o que sou, de forma que já não pertenço a mim mesmo de modo nenhum. Eu me entreguei completamente a Ele."

Jonathan Edwards, 1703-1758


Recebe, ó, Rei dos reis, o nosso melhor.

Que nosso coração vibre sempre de boas palavras.

Que nossa boca te entregue o mais perfeito louvor que possa dela sair.

Que nossos dias sejam vividos para ti com toda intensidade.


Nós te louvamos e te agradecemos pela dádiva da vida.

Obrigado, soberano Rei, pelo teu cuidado, pelo nosso pão de cada dia.

Obrigado, Senhor, pela comunidade da fé, pelos irmãos, pelos amigos.

Obrigado, Senhor, pelo teu Filho, nosso irmão e amigo, o Senhor Jesus.

Recebe, ó, Rei dos reis, o nosso melhor.





18 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo