• Luiz Fernando Arêas

A ARROGÂNCIA SERÁ PUNIDA

Bom dia.


Leia Obadias 1-15


Obadias é o menor livro do Antigo Testamento. Seu nome significa “servo (ou adorador) do SENHOR”. O nome é comum nas Escrituras, há pelo menos 12 pessoas no Antigo Testamento com esse nome, e nenhum deles parece ser o profeta.


A meditação de hoje nos conduzirá a um sentimento que todos conhecemos: o orgulho, a arrogância, considerado um dos sete pecados capitais, que têm esse nome por conterem a ideia de dar origem a todos os outros pecados.


A profecia de Obadias não se dirige a Israel, mas a Edom, que era o vizinho do sul de Judá, compartilhando uma fronteira comum. Mas os vizinhos nem sempre são amigos, e Edom não gostava de Judá.


O livro é pequeno, e ainda assim, tem duas partes. A primeira (1-14) é dirigida a Edom e anuncia sua queda inevitável. Pela sua arrogância violência e pelo mal praticado contra Judá, Edom seria destruído. A segunda parte fala do Dia do SENHOR (15-21). Será um tempo de julgamento e retribuição. Para Edom, haveria desgraça (v.15-16), mas, para Judá, salvação (v.17-20).


Apesar de serem irmãos, as relações entre Israel e Edom sempre foram de hostilidade. Os edomitas descendiam de Esaú, irmão gêmeo mais velho de Jacó, de quem descendem os israelitas. Edom constantemente hostilizava os judeus.


Durante 20 anos (605-586 a.C.), os babilônios invadiram Judá, com repetidos ataques a Jerusalém, finalmente devastada em 586 a.C. Os edomitas viam nessas incursões uma oportunidade de vingar-se de Israel. Antes do tempo que este livro foi escrito, eles tinham participado de ataques contra Judá.


Essa hostilidade é retratada nos versos 12 a 14. Edom se alegrou com a desgraça de Judá, quando foi levado pela Babilônia para o cativeiro. Eles perseguiram alguns que escaparam da Babilônia e os venderam como escravos.

Com que frequência você se alegra com os infortúnios dos outros? Como somente Deus é o juiz, nunca devemos ser felizes com os infortúnios dos outros, mesmo que pensemos que eles os merecem.

O MINISTÉRIO PASTORAL ADVERTE: a segurança material pode abrir a porta para a arrogância. 

Edom era uma nação marcada pela arrogância. A terra de Edom ficava a sudeste do mar Morto. Sua região montanhosa podia chegar a 1.070 m de altura. Por seu território passavam duas vias de tráfego importantes. Edom controlava boa parte do comércio norte-sul e lucrava muito com isso. Além disso, sua localização alta era uma espécie de fortaleza natural, e dificultava que fosse atacada.


Veja o verso 3.

A arrogância do seu coração o tem enganado, você que vive nas cavidades das rochas e constrói sua morada no alto dos montes; você que diz a si mesmo: ‘Quem pode me derrubar?’

Esse verso me lembra a parábola do Rico Insensato (Lucas 12.13-21), do homem que teve tanto sucesso na produção e queria guardar tudo para si, e Deus lhe diz: Louco! Essa noite pedirão a tua alma!


Todo orgulho é idolatria.

John Wesley, 1703-1791


O arrogante diz: há dois modos de se fazer as coisas: o meu e o errado. Quem pode me derrubar? Sou invencível!


Li esta ilustração sobre arrogância num dos livros de Mario Sergio Cortella. O general Sedgwick morreu na guerra civil norte-americana. Ao ver as tropas inimigas parando lá longe, não se preocupou sequer em se proteger. Ainda debochou, proferindo uma das frases mais fatídicas de todos os tempos: “Imagina se vou perder meu tempo. Dessa distância, eles não acertariam nem em um elef...”. E caiu morto com sua frase incompleta, fulminado por um tiro certeiro na cabeça.


A arrogância será punida. Obadias nos ensina que podemos ter a certeza de que Deus castigará aqueles que maltrataram o povo de Deus. Deus disse a Abraão: “amaldiçoarei os que o amaldiçoarem”.


Aquilo que Edom considerava seus pontos fortes, seria sua queda.

  1. a segurança em sua cidade (versículos 3, 4) - Deus os mandaria despencar das alturas;

  2. o orgulho em sua autossuficiência (versículo 4) - Deus os humilharia;

  3. a riqueza (versículos 5, 6) - ladrões roubariam tudo o que tinham;

  4. os aliados (versículo 7) - Deus os faria se voltar contra Edom;

  5. a sabedoria (versículos 8, 9) - o sábio seria destruído.


Repreendamos todo e qualquer sentimento de arrogância do nosso coração.

A essência do pecado é a arrogância; a essência da salvação é a submissão.

Alan Redpath, 1907-1989

21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo