• Luiz Fernando Arêas

UMA COISA PEÇO AO SENHOR - parte 1 de 2

Bom dia.


Leia Salmo 27.


O Senhor é minha luz e minha salvação; então, por que ter medo? (Salmo 27.1)

Neste salmo, Davi ensina que, quando conhecemos o Senhor e confiamos nele, recebemos sua ajuda para superar os medos que podem paralisar nossas vidas.


O Salmo claramente se divide em duas partes. Na primeira metade vemos Davi confiando nas montanhas da fé. Na segunda, o vemos nos vales do medo.


Esse é um dos aspectos que mais me agradam nos Salmos, a sinceridade do salmista. A fé dele, como a nossa, também oscila entre a certeza e a dúvida. Por vezes escalamos as montanhas da fé. Todavia, também, trilhamos pelos vales do medo. Não há o que esconder diante dele. Ele sabe do que somos feitos e conhece nossa natureza.


É nessa mistura de medo e fé que o salmo vai costurando a trama da espiritualidade do salmista. Aqui há ensino precioso para nós. Aprendamos com Davi.


Num arroubo de fé, Davi expressa sua confiança de que Deus pode livrá-lo de todos os que conspiram para derrubá-lo. A certeza dele é tanta que usa termos fortes para traduzi-la, como o verso três:

Ainda que um exército me cerque, meu coração não temerá. Ainda que invistam contra mim, permanecerei confiante. (Salmo 27.3)

Davi não fecha os olhos para as circunstâncias a seu redor; antes, volta-os pela fé para o Senhor e examina essas circunstâncias do ponto de vista do céu (Hebreus 12:1-3).

O Senhor é tudo de que ele precisa, como também é tudo de que precisamos hoje.

Perceba quantas dificuldades são mencionadas por Davi: medo, homens, maus, inimigos, dia da adversidade etc.


Certamente você já passou pelo “dia da adversidade”, experimentou o medo e a insegurança. Esse belo salmo nos dá alguns segredos de como devemos viver para que esse “dia” não nos pegue desprevenidos.


Vejamos os versos 4:

Uma coisa pedi ao Senhor e a procuro: que eu possa viver na casa do Senhor todos os dias da minha vida, para contemplar a bondade do Senhor e buscar sua orientação no seu templo.

e o verso 8:

A teu respeito diz o meu coração: Busque a minha face! A tua face, Senhor, buscarei.

Vemos neles a expressão “buscar ao Senhor”. Buscar a Deus é uma atitude do coração.


O verso seis revela que louvor e adoração eram partes integrantes de Davi, do seu estilo de vida. Seu relacionamento com Deus não era utilitarista, ou seja, só se lembrava do Senhor quando enfrentava alguma dificuldade.

Tu nos buscaste quando não te buscávamos; de fato, nos buscaste para que te buscássemos.

Agostinho, 354-430


Charles Wesley expressou em bela poesia essa busca pelo Senhor:

Ó Jesus, cheio de graça e de verdade, Mais cheio de graça do que eu de maldade, Mais uma vez eu busco tua face gloriosa; Abre teus braços, recebe-me com ternura amorosa, Cura gratuitamente meu pecado cruel E, a despeito disso, ama este pecador infiel.

Charles Wesley, 1707-1788


Busquemo-Lo em todo o tempo.


29 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo