• Luiz Fernando Arêas

PARA ACABAR COM A PRÓPRIA ARROGÂNCIA

Bom dia.


Leia Obadias 1-15.

Este post conclui outro post, A ARROGÂNCIA SERÁ PUNIDA.


Os cristãos sabem que são bem-aventurados quando forem perseguidos por causa de Jesus. Ele mesmo disse: “Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a sua recompensa nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês.Esse é um grande consolo para o povo de Deus.


Veja o verso 15 de Obadias:

"A maldade que você praticou recairá sobre você!”

A maldade é um bumerangue. Você a lança nos outros e um dia ela volta para você.


Toda essa corrupção que vemos no mundo, um dia será julgada. A arrogância será castigada. Obadias ensina que Deus é Soberano sobre todas as nações. Embora os inimigos tenham experimentado alguns vislumbres de glória, serão derrotados por Deus no final e suas terras serão entregues a seu povo (v, 19-21).

É preciso cuidar do coração.

A arrogância pode se instalar facilmente no coração humano. Por isso, é preciso vigiá-lo constantemente. Deus fala em outros profetas que Edom tinha ira, ciúmes e ódio dos judeus. Provérbios 4.23 adverte:

Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o teu coração, pois dele depende toda a sua vida.

A hostilidade de Edom, na verdade, era uma animosidade em relação ao Senhor, Deus de Israel. Conforme o Senhor revela em Ezequiel 35.13:

“Você encheu-se de orgulho contra mim e falou contra mim sem se conter, e eu o ouvi.”

Precisamos vigiar o nosso coração. Nosso enganoso coração (Jeremias 17.9) ama o orgulho. Você pensa que comanda sua vida, mas não comanda. É uma ilusão humana pensar assim.

Prosperidade, segurança, palácios, talentos, além de outros fatores, podem nos tornar orgulhosos e arrogantes como Nabucodonosor (Daniel 4). Nossa atitude com a vida deve ser bastante cuidadosa, especialmente quando Deus nos coloca em posições elevadas. Só a graça de Deus pode nos livrar disso.

A graça de Deus nos dá força para superar as consequências dos nossos erros.

Não há pessoa que tenha se arrependido de seus pecados e se humilhado diante de Deus que não tenha sido acolhida por ele. Isso jamais aconteceu com Edom.

“A este eu estimo: ao humilde e contrito de espírito, que treme diante da minha palavra. (Isaías 66.2)

Caim e Baalão ouviram a voz de Deus e nem por isso andaram com ele. Os israelitas ficaram quarenta anos no deserto experimentando diariamente o cuidado de Deus com uma nuvem de dia, uma coluna de fogo à noite e com o maná caindo dos céus. Apesar dessas manifestações visíveis da presença e do cuidado de Deus, muitos, como Acã, endureceram seu coração.


Talvez o exemplo mais impressionante seja Judas Iscariotes, que viveu face a face com Cristo durante três anos. E o próprio Jesus o chamou de "filho da perdição" (João 17.12).

Alguns jamais serão salvos porque são orgulhosos e rebeldes.


O que Esaú e Edom nunca tiveram: arrependimento. Hebreus 12.16 e 17 explica:

16 nem haja algum impuro ou profano, como foi Esaú, o qual, por um repasto, vendeu o seu direito de primogenitura. 17 Pois sabeis também que, posteriormente, querendo herdar a bênção, foi rejeitado, pois não achou lugar de arrependimento, embora, com lágrimas, o tivesse buscado.

O verso 1 diz “Um mensageiro foi enviado às nações para dizer: “Levantem-se! Vamos atacar Edom!”. O contexto é o tribunal divino. Obadias parece presenciar a deliberação do tribunal e sai a sentença: vamos atacar Edom! Contra Deus, que pode resistir? A arrogância jamais será aceita por Deus. No verso 2 Deus diz que tornará Edom pequeno entre as nações e o fará completamente desprezado.


É preciso cuidar do coração. Contra a arrogância, o melhor recurso é o arrependimento.

Os edomitas se sentiam seguros e se orgulhavam de sua autossuficiência. Mas estavam se enganando porque não há segurança duradoura fora de Deus.


Para refletir. A sua segurança está em objetos ou pessoas? Pergunte a si mesmo quanta segurança duradoura eles realmente oferecem. Posses e pessoas podem desaparecer em um momento, mas Deus não muda. Somente ele pode fornecer verdadeira segurança.


Ó Jesus, cheio de graça e de verdade,

Mais cheio de graça do que eu de maldade,

Mais uma vez eu busco tua face gloriosa;

Abre teus braços, recebe-me com ternura amorosa,

Cura gratuitamente meu pecado cruel

E, a despeito disso, ama este pecador infiel.


Charles Wesley, 1707-1788



20 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo