• Luiz Fernando Arêas

O CAPÍTULO QUATRO E MEIO DE ESTER

Bom dia.


Leia Ester 4.8-5.8


Se há uma lição no livro de Ester, é que Deus age nas entrelinhas.

Por ser a Palavra de Deus, a Bíblia é um livro que merece ser lido com muita atenção. Devemos evitar as leituras superficiais, achando que elas vão nos alimentar.


Gosto muito do livro de Ester. Leia-o num dia desses. Nele o nome de Deus não aparece explicitamente, um artifício literário para justamente chamar a atenção da atuação divina em toda narrativa. O Senhor está presente do começo ao fim do livro. É impressionante como Ele trabalha nos bastidores, onde ninguém está vendo.


A História de Ester se passa na cidade de Susã, capital do reino persa, no período pós-exílico. É o único livro da Escritura que retrata a realidade da vida dos judeus que preferiram ficar na Babilônia, ao invés de retornarem do exílio para Jerusalém.


O povo de Israel foi levado cativo pela Babilônia por causa da sua desobediência. A Babilônia, por sua vez, foi conquistada pela Média e Pérsia (Daniel 5). Os persas (atualmente o Irã) formaram um grande império, retratado no filme “300”. Os judeus que não voltaram do exílio estabeleceram-se no império persa, com suas casas e negócios.


Hamã, o vilão da história, queria exterminar todos os judeus e conseguira que o rei Xerxes (ou Assuero) promulgasse uma lei decretando isso. O rei não sabia que Ester, sua rainha, era judia. Mardoqueu, pai adotivo de Ester, manda dizer a Ester que ela entre na presença do rei para interceder pelo seu povo.


Porém, se fizesse isso sem ser chamada pelo rei, ela poderia ser executada imediatamente, a não ser que o rei estendesse seu cetro a ela. Portanto, a situação é desesperadora. O capítulo 4 termina com uma nota quase fúnebre com Ester esperando a morte. Mas depois de 3 dias de jejum e oração Deus mostra a saída: oferecer um, ou melhor, dois banquetes ao rei! O rei estende o cetro a ela e lhe é totalmente favorável.


Olhe bem para o trecho da sua Bíblia entre o capítulo 4 e o 5. Nesse espaço em branco passaram-se três dias. Três dias de jejum e oração. Em algum momento daquelas 72 horas, de alguma forma, Deus trouxe a solução do problema a Ester. O ponto de virada da narrativa está justamente aí, no capítulo quatro e meio.


Nesse exato momento, Deus está atuando nas linhas e entrelinhas das nossas histórias, tanto na linha de frente da batalha quanto nos bastidores. Ele é o diretor da nossa narrativa. Aprendamos com Ester e busquemos a face do Altíssimo, porque Ele pode nos livrar dessa terrível ameaça que paira sobre o mundo.


Tu nos buscaste quando não te buscávamos; de fato, nos buscaste para que te buscássemos.

Agostinho, 354-430




33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

DECISÕES