top of page
  • Foto do escritorLuiz Fernando Arêas

NOSSAS PIORES ORAÇÕES - parte 2 de 3

Bom dia.


Leia Salmo 39


Prosseguimos hoje com a segunda parte da reflexão no Salmo 39. (veja aqui a parte 1).


Vimos anteriormente que o silêncio do salmista foi provocado pelo pecado não confessado. Esse silêncio trouxe-lhe a convicção de que a vida é breve:


3 Meu coração ardia-me no peito e, enquanto eu meditava, o fogo aumentava; então comecei a dizer: 4 Mostra-me, Senhor, o fim da minha vida e o número dos meus dias, para que eu saiba quão frágil sou. 5 Deste aos meus dias o comprimento de um palmo; a duração da minha vida é nada diante de ti. De fato, o homem não passa de um sopro. Pausa 6 Sim, cada um vai e volta como a sombra. Em vão se agita, amontoando riqueza sem saber quem ficará com ela.

A vida é curta. Não sabemos o número dos nossos dias. Não desperdice a vida sem a doce presença de Deus. NÃO DESPERDICE SUA VIDA ESTANDO LONGE DE DEUS.


A perda repentina frequentemente simplifica a vida. Eis uma história verídica de um homem que escreveu a seguinte carta num leito de hospital:


“Eu percebi que já não me importavam mais os valores que o mundo tanto persegue, como 'quanto dinheiro você tem no banco' e 'quantos carros seus estão estacionados na garagem'. Eclesiastes afirma que perseguir essas coisas é "correr atrás do vento". De repente, a correria tornou-se vaidade para mim, vaidade absoluta. Eu me sentia nu diante de Deus. Se eu morresse, eu não levaria nenhuma das coisas comigo. Tudo o que realmente importava, em última análise, era a minha relação com o Senhor, minha relação com a família e amigos. Se não fosse pela perda de minha saúde, eu poderia ter desperdiçado o resto da minha vida perseguindo conquistas e adquirindo coisas.”

Eu diria que a perda da saúde deste homem fez bem a ele, você concorda?


continua...

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page