top of page
  • Foto do escritorLuiz Fernando Arêas

NOSSAS PIORES ORAÇÕES - parte 1 de 3

Bom dia.


Leia Salmo 39


Há um grupo de salmos na Bíblia que combinam tristeza e lamento com fé e esperança. Hoje veremos um dos salmos mais inquietantes do saltério.


O cenário não é o da normalidade, muito menos o da paz. É o da confusão, da falta de direção, da desorientação, do caos. É assim que acontece muitas vezes em nossas vidas. E em resposta a esse clima, muitas vezes guardamos silêncio para não falarmos coisa errada ou acabamos explodindo e erramos falamos demais. Esses dois movimentos ocorrem aqui com o salmista.


O salmo 39 é um dos 3 salmos mais problemáticos, juntamente com o 88 e o 109. A vida muitas vezes é complicada mesmo, e salmos deste tipo estão aí nas Escrituras para provar isso.


Gosto muito de uma frase de Calvino, 1509-1564, que chama o livro dos Salmos de:


"Uma Anatomia de Todas as Partes da Alma", pois não há sequer uma emoção da qual alguém porventura tenha participado que não esteja aí representada como num espelho." 

Entendo que nenhum outro livro da Bíblia faz isso por nós. Este é um dos motivos deste livro ser tão especial.


Como foi essa jornada do salmista aqui no salmo 39? Vejamos os versos 1 e 2.

1 Eu disse: Vigiarei a minha conduta e não pecarei em palavras; porei mordaça em minha boca enquanto os ímpios estiverem na minha presença.
2 Enquanto me calei resignado, e me contive inutilmente, minha angústia aumentou.

Os salmos de lamento geralmente começam com um clamor a Deus. O salmista ergue a voz, rasga a alma e derrama a vida no altar do Senhor. Mas aqui ele está tão perturbado, que tem um enorme receio de sua angústia o levar a falar o que não deve na presença dos seus inimigos. Ele guarda silêncio. Você já se arrependeu de algo que disse? Disse no momento errado, da forma errada, para a pessoa errada? Tiago (3.2) diz:

É verdade que todos nós cometemos muitos erros. Se pudéssemos controlar a língua, seríamos perfeitos, capazes de nos controlar em todos os outros sentidos.

Mas tal silêncio não é aquele da solitude, da meditação na Palavra, da comunhão com Deus. Não. Esse silêncio não traz paz. É um silêncio que lhe aumenta a angústia, que vai crescendo de maneira implacável no peito do salmista, que faz o coração queimar de agonia! Que silêncio é esse que tem um poder tão negativo, que pode emocionalmente destruir um ser humano? É o silêncio do pecado não confessado. Veja os versos 8 e 9:

8 Livra-me de todas as minhas transgressões; não faças de mim um objeto de zombaria dos tolos. 9 Estou calado! Não posso abrir a boca, pois tu mesmo fizeste isso.

PECADO NÃO CONFESSADO CAUSA A MAIOR ANGÚSTIA DE TODAS: A QUEBRA DA COMUNHÃO COM DEUS.

Outro salmo, o 32, diz “Enquanto eu calei o meu pecado, meus ossos envelheceram. Tua mão pesava sobre mim”. É o que está acontecendo aqui.

Esse é o retrato do ser humano sem Deus. Deus não quer que fiquemos longe dele! Deus não quer que o pecado nos distancie dele. Eclesiastes diz que Deus colocou no coração do homem a eternidade. Só Deus é eterno. Fomos feitos para Deus e somente Deus pode nos satisfazer. O peixe foi feito para a água. Um peixe fora d’água é um peixe angustiado a caminho da morte. Assim é o ser humano sem Deus.


continua...


11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Commentaires


bottom of page