• Luiz Fernando Arêas

JACÓ 03 - TRAGÉDIA ANUNCIADA

Bom dia.


Leia: Gênesis 27.1-35


Este capítulo da saga de Jacó é repleto de fortes sentimentos, medos e amargura. Se você ler o texto atentamente e de coração aberto, procurando visitar cada cena ali descrita, sentirá a tensão pairando no ar.

A casa está dividida. A mãe e o filho mais novo conspiram contra o pai e o filho mais velho. E o que o leitor vinha imaginando, ao vislumbrar relacionamentos tão fragmentados, é o que de fato ocorre.


As predileções acentuam o conflito, que desemboca numa enganação generalizada. Rebeca acaba perdendo o respeito que tinha de Esaú. Jacó se disfarça de Esaú e engana o pai cego, correndo o risco de ser desmascarado a qualquer momento, o que quase acontece. A cena é digna dos filmes de suspense de Hitchcock.

Esse turbilhão de emoções me lembra a estupenda composição do polonês Chopin, Op. 10, n° 12, o Estudo Revolucionário. O genial compositor traduziu em notas uma explosão de sentimentos que lhe vieram à tona, por ver seu povo viver sob opressão da Rússia, que acabara de sufocar uma revolta polonesa.


Esaú chega para a formatura, mas o baile acabou faz tempo. Ao invés da bênção, o que ele recebe são as más notícias de que Jacó veio e saiu abençoado. O grito de Esaú é um dos mais angustiantes das Escrituras:

Quando Esaú ouviu as palavras do pai, soltou um forte grito amargurado e suplicou: “Ah, meu pai, e eu? Abençoe-me também! (Gênesis 27.34)

Veja a força do texto. Literalmente no hebraico se lê: "e gritou um grande grito com o máximo de amargor". Ou seja, onde Jacó estava naquele acampamento, ouviu o grito do caçador enganado. Imagine o calafrio que correu-lhe a espinha. Naquele momento, ele soube que teria que fugir para salvar sua vida. Esaú sofre com dor e amargura a perda das bênçãos espirituais, que vendera por tão pouco ao irmão (Hebreus 12.17).


BEIJO E TRAIÇÃO

Cuidado com as interpretações equivocadas da Bíblia. Deus não abençoa o engano nem a mentira. O que aconteceu com os personagens bíblicos não é normativo, mas descritivo. Deus não abençoa Jacó por causa de Jacó, mas apesar de Jacó.

Então seu pai Isaque lhe disse: “Venha cá, meu filho, dê-me um beijo” (Gênesis 27.25)

Se você se identificou com a traição sofrida por Esaú, saiba que há outro Personagem na Bíblia que foi traído com um beijo, sem, contudo, ter brincado com as coisas de Deus.


Ao contrário, foi fazendo a vontade do Pai que Jesus sofreu pelas nossas traições, mentiras e enganos. Ele não enganou ninguém, mas carregou sobre si nossos pecados. Abriu mão das suas bênçãos de filho mais velho para que eu e você fôssemos abençoados às custas dele. Jesus conhece a dor de ser traído por alguém próximo.

"Ele morreu por todos, para que os que recebem sua nova vida não vivam mais para si mesmos, mas para Cristo, que morreu e ressuscitou por eles." (2Coríntios 5.15)

Vivamos para Ele.


Que possamos aprender com as desventuras dessa família a investirmos seriamente na saúde espiritual e emocional das nossas.



16 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo