• Luiz Fernando Arêas

DESATENTOS À PASCOA

Bom dia.


Leia Marcos 10.32-34.



A passagem mostra que Jesus anunciou aos discípulos tudo o que aconteceria com ele em Jerusalém, Seria traído e entregue aos principais sacerdotes e aos mestres da lei. Seria condenado à morte e entregue aos gentios. Seria zombado, cuspido, açoitado e morto. E depois de três dias ressuscitaria. E ele comunicou isso aos seus discípulos mais de uma vez, como se pode ver nos Evangelhos.


No texto paralelo de Lucas, ficamos sabendo que os discípulos

"...porém, nada compreenderam acerca destas coisas; e o sentido destas palavras era-lhes encoberto, de sorte que não percebiam o que ele dizia." (Lucas 18.34)

Na nossa passagem de hoje, Marcos acrescenta a seguinte informação:

Estes se admiravam e o seguiam tomados de apreensões. (Marcos 12.32)

O coração dos discípulos abrigava um misto de emoções. Estavam admirados com o ensino, os sinais e a popularidade de Jesus. Possivelmente imaginavam que o reino de Deus seria estabelecido em Jerusalém pela força.


O contexto mostra ainda Tiago e João (e a mãe deles na passagem paralela de Mateus 20) pedindo para se sentarem à direita e à esquerda de Jesus, demonstrando estarem muito mais preocupados com o sucesso deles do que com qualquer outra coisa que Jesus tivesse que fazer. Uma desatenção impressionante às palavras proféticas de Jesus. Tal pedido egoísta gera indignação por parte dos outros discípulos, que também gostariam de uma parcela de poder e proeminência.


Para muitos a Páscoa resume-se ao feriado da semana santa e ao chocolate. Para o cristão é o maior evento da História. Um querido amigo, o professor e pastor Johannes Bergmann, diz que a Páscoa é merecedora de muito mais atenção do que o Natal, no entanto, é negligenciada. Concordo com ele.


Deveríamos nos preparar para a Páscoa. Sugiro uma preparação pessoal com reflexões diárias sobre a Paixão de Cristo nos evangelhos e sobre passagens do Antigo Testamento que tratam disso, como a áurea passagem de Isaías 52.13 a 53.12, além do Salmo 22.


Não façamos como aqueles discípulos, que nada compreenderam do que Jesus lhes dizia. Temos o texto bíblico. Vivemos à luz da Cruz e da tumba vazia. Temos o Espírito Santo testificando em nossos corações nesse exato momento a importância da Paixão, do sofrimento do nosso Senhor e Salvador.


Preparemo-nos devidamente para o domingo da ressurreição.


As melhores notícias que o mundo já ouviu vieram de um túmulo. Anônimo



24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo